<img height="1" width="1" src="https://www.facebook.com/tr?id=519162955443293&amp;ev=PageView &amp;noscript=1">
Marketing

Marketing digital: aderir ou não já não é mais uma opção

Como criar uma estratégia de marketing digital que funcione no cenário atual e envolva o público-alvo?

Por Luana Gonçalves
É Executiva de Marketing Digital por paixão e Letrada por formação.

Não é novidade que o comportamento do público está cada vez mais imprevisível, e o consumo de informação está fragmentado em uma variedade de mídias e aparelhos. A grande dúvida é como criar uma estratégia de marketing que funcione em um cenário como esse?

Afinal, se o comportamento do público mudou não adianta mais as empresas continuarem com as mesmas estratégias de marketing. Se antes o processo de compra era previsível e fragmentado em Estímulo, Prateleira e Experiência, hoje existe um intervalo grande entre o consumidor ser impactado por um produto e, de fato, comprá-lo. E é esse espaço em que muitas empresas estão perdendo oportunidades.



O consumidor é quem decide

Cada vez mais é comum que nosso primeiro comportamento seja buscar por mais informações antes de estarmos prontos para realizar a compra. Assim, as redes sociais, conselhos de amigos, propagandas, blogs, livros e sites influenciam, e muito, em nossa decisão. Hoje, cerca de 90% do nosso processo de compra é realizado fora das lojas virtuais ou físicas.

O Google chama isso do Momento Zero da Verdade ou ZMOT - conceito usado para determinar o caminho percorrido até a compra se efetivar. Quem trabalhar com Marketing Digital enfrenta um momento crítico que consiste em entender o que o público faz entre a fase de estímulo e a fase de prateleira (compra).

É um novo momento de decisão que acontece com frequência no dia a dia, principalmente se o aumento significativo da presença dos smartphones em nossas vidas for considerado. Temos na mão, literalmente, o poder de compra.


New Call-to-action


Experiência completa e conectada ao usuário

Por isso, dispor de planejamento de marketing alinhado ao comportamento do público e a esse novo cenário torna-se essencial para toda e qualquer empresa. A grande sacada é fazer com que esse público conheça sua empresa e serviços, e que o seu negócio esteja presente no momento em que o consumidor busque informações para suprir uma necessidade ou sanar uma dúvida.

Ou seja, o desafio é criar uma experiência completa e conectada ao usuário e é aí que entra uma das estratégias mais usadas: o famoso Inbound Marketing. Uma estratégia digital centrada em conteúdo relevante para fazer com que o público encontre sua marca nos meios digitais e, não só isso, mas fazer com que o conteúdo produzido por sua marca o ajude no processo de decisão.

O que muita gente ainda não entende é que ter uma estratégia de Inbound Marketing não invalida outras ações. Sua empresa deve continuar a investir em Assessoria de Imprensa, Relações com a Mídia, Redes Sociais, Propaganda On e Off Line etc. Todas essas ações devem ser convergentes e devem ser centradas no consumidor e não mais no produto de sua empresa.



O foco agora é seu consumidor e não mais o seu produto

Veja só um exemplo: Mariana está em sua casa assistindo TV, quando vê um programa passando uma matéria sobre tratamentos estéticos para realizar no inverno e estar em forma no verão. No intervalo comercial aparece uma propagada de uma clínica de estética, ela fica com isso na cabeça e resolve buscar mais informações em seu celular. Também fala com uma amiga que diz já ter feito o tal tratamento e indica um local.

No trabalho, Mariana começa a pesquisar um pouco mais em seu desktop. Encontra blogs e conteúdos que falam do tratamento e também sobre as clínicas que o oferecem, além de ser impactada por propagandas online. Ao se conectar no Facebook, resolve curtir a página das clínicas que mais achou interessante.

Uma semana depois, quando ela vai visitar duas clínicas para decidir em qual fechar o tratamento, ela já sabe quanto pretende pagar, quanto tempo o tratamento vai durar, quais são as contra-indicações, quais serão os resultados e o que é mais indicado para sua necessidade. Viu só, seu processo de compra está 90% percorrido.

Agora, imagine que no momento em que busca informação na internet ela tenha como primeiro resultado seu concorrente e não a sua empresa, imagine que o concorrente já tenha um vídeo explicativo ou um guia com as melhores práticas para falar do problema e esclarecer as dúvidas e a sua empresa não.

Qual delas Mariana escolheria? Qual estaria mais presente em sua mente? Por isso, é importante desenvolver ações de Inbound Marketing que estejam alinhadas ás demais iniciativas de marketing da empresa. Buyer persona, palavras-chave, plano editorial e ações de ativação não devem ser atividades isoladas, mas devem fazer sentido dentro de toda a estratégia de marketing.